9º CNP

logo 9CNP“O Sistema Confea/Crea e Mútua em defesa da Engenharia e da Agronomia Brasileiras” é o tema central do 9º Congresso Nacional de Profissionais (CNP) que em 2016 acontece após à 73ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea), em Foz do Iguaçu (PR), de 01 a 03 de setembro.

Como eixos temáticos, serão abordados: a) Defesa e fortalecimento da engenharia e da agronomia junto à sociedade; b) Tecnologia e inovação; e c) Carreira e prerrogativas da engenharia e da agronomia.

Realizado a cada três anos, o CNP é um fórum organizado pelo Confea, apoiado pelos Creas e pelas entidades nacionais, que tem por objetivo discutir e propor políticas, estratégias, diretrizes e programas de atuação, visando à participação dos profissionais das áreas abrangidas pelo Sistema Confea/Crea no desenvolvimento nacional, propiciando maior integração com a sociedade e entidades governamentais.

Em 2016, compõem a Comissão Organizadora Nacional do Congresso Nacional de Profissionais: presidente do Confea, José Tadeu da Silva (coordenador); presidente do Crea-PR, Joel Krüger (coordenador adjunto); presidente do Crea-CE, Victor Cesar Frota Pinto; coordenador da Comissão de Articulação Institucional do Sistema, conselheiro federal Raul Otávio da Silva Pereira; chanceler da Comissão do Mérito, conselheiro federal Mário Varela Amorim; um representante indicado pelo Colégio de Entidades Nacionais (Cden), Fernando Cézar Juliatti; coordenador nacional representante das Coordenadorias de Câmaras Especializadas dos Creas, Glauber Marcio Sumar Pinheiro; representante da Mútua, presidente Paulo Roberto de Queiroz Guimarães; conselheiro federal representante do plenário do Confea, conselheiro federal William Alves Barbosa.

Breve histórico dos CNP

O Processo Constituinte do Sistema Confea/Crea (PC-91/92) propôs e o Confea criou, em 1992, por meio da Resolução 373/92, e depois pela Resolução 1.013/2005, a regulamentação dos Congressos Nacionais de Profissionais (CNPs) e dos Congressos Estaduais de Profissionais (CEPs). Desde então, foram realizadas oito edições desses congressos.

Eventos precursores

São os encontros locais, microrregionais e regionais que precedem a realização dos Congressos Estaduais de Profissionais. Têm como objetivo apresentar, discutir, aprovar e encaminhar às Comissões Organizadoras Regionais proposições que favoreçam a discussão, cujo resultado deve permitir a seguinte abordagem:

– Defesa e fortalecimento da Engenharia e da Agronomia junto à sociedade: relacionamento com órgãos de controle e poderes executivos; prestação de serviços e mercado de trabalho (legislação de licitações e contratações); retomada das estruturas de Engenharia e Agronomia nos âmbitos Federal, Estadual e Municipal.

– Tecnologia e inovação: aumento de produtividade; incremento à pesquisa; maior aproximação (academia/empresas/profissionais).

– Carreira e prerrogativas da Engenharia e da Agronomia: formação profissional; regulamentação profissional; mobilidade profissional, com reciprocidade;        os profissionais aos olhos da sociedade.

Após o debate, as proposições são sistematizadas de acordo com metodologia própria e encaminhadas à etapa seguinte, conforme o calendário estabelecido (clique aqui).

Como funciona o Congresso Nacional de Profissionais

Os eventos do CNP são realizados na seguinte sequência:

  1. na “consciência individual” de cada profissional;
  2. nas reuniões preliminares, muitas vezes informais, realizadas nas entidades de classe e nas instituições de ensino, ou até mesmo nas empresas;
  3. nas inspetorias, em cujas subjurisdições se localizam essas entidades, instituições e empresas;
  4. nas regiões administrativas em que as inspetorias se agrupam;
  5. nos Congressos Estaduais, cujas propostas sistematizadas são representativas do pensamento e do posicionamento consensual dos profissionais de cada jurisdição;
  6. finalmente, no Congresso Nacional de Profissionais (CNP), onde são discutidas as propostas nacionais sistematizadas, representativas do pensamento e do posicionamento nacionais unificado.